publicado por [FV] | Segunda-feira, 02 Março , 2009, 19:08

Série Imaginação da Matéria: ÁGUA, sobre um poema de Sérgio Godinho
2008 | 2009
 

CCC | Centro Cultural de Cascais

 

CCC | Centro Cultural de Cascais

 

 

 

Ah, quanto eu queria navegar
Pra sempre a Barca dos Amantes
Onde o que eu sei deixei de ser
Onde ao que eu vou não ia dantes

Ah, quanto eu queria conseguir
Trazer a Barca à madrugada
E desfraldar o pano branco
Na que for terra mais amada

E que em toda a parte o teu corpo
Seja o meu porta-estandarte
Plantado no céu mais fundo
Possa agitar-me no vento
E mostrar a cor ao mundo

Ah, quanto eu queria navegar
Pra sempre a Barca dos Amantes
Onde o que eu vi me fez vogar
De rumos meus, a cais

errantes

Ah, quanto eu queria me espraiar
Fazer a trança à calmaria
Avistar terra e não saber
Se ainda o é quando for dia

E que em toda a parte o teu corpo
Seja o meu porta-estandarte
Plantado no seu mais fundo
Possa agitar-me no vento
E mostrar a cor ao mundo

Ah, quanto eu queria navegar
Pra sempre a Barca dos Amantes
Onde o que eu sei deixei de ser
Onde ao que eu vou não ia dantes

Ah, quanto eu queria me espraiar
Fazer a trança à calmaria
Avistar terra e não saber
Se ainda o é quando for dia

 

Autor do poema/canção: Sérgio Godinho

 

imagem & comunicação
design gráfico & comunicação visual
obra gravada
SERIGRAFIA | GRAVURA | LITOGRAFIA | ESTAMPAS | XILOGRAVURA | etc... | A OFICINA DO DESENHO [OD] é uma marca registada no INPI para a edição, divulgação e comercialização de múltiplos de arte, pertença do Pintor Fernando Vidal. Apresenta obras de artistas de reconhecido mérito nacional e estrangeiro.
contacto

e-mail de Fernando Vidal

pesquisar neste blog
 
RSS