publicado por [FV] | Sexta-feira, 27 Julho , 2007, 16:42

Fogo

 

Por maldade, incúria, desleixo, ou destino, o fogo, mais uma vez, deflagrou, avançou em terreno aberto, devastou parte do concelho e esteve às portas de Nisa. Aí estão os campos vestidos e revestidos de castanho, cinza e preto. A alma dos homens tem que tirar o luto e lutar, cobrir-se de verde-esperança, aplicar os ensinamentos aprendidos com os erros, pelejar para que tal não torne a acontecer e para que exploração de urânio não venha continuar o que o fogo começou.
E Fernando Vidal, em exposição de pintura, que esteve patente até 18 de Agosto na Biblioteca Municipal de Nisa, em dez dos dezoito quadros despertou-nos para o fogo que nos pôs diante dos olhos para que cada um a seu modo reflectisse e sentisse as pinceladas castanhas, cinzas, pretas, azuis, verdes, amarelas e vermelhas de sangue que salpicam, dividem, cortam, rasgam, golfam ou enchem completamente os fundos, saltavam das molduras e inundavam os espaços e os espíritos e se misturavam com as labaredas, com o cheiro a fumo e queimado e com o temor, angústia, desespero, raiva, ... do dia 29 de Julho, domingo.
E nas bermas das estradas o pastio por destino, desleixo, incúria …
é acendalha para o fogo.
 

José Dinis Murta*
In Jornal de Nisa em 22 de Agosto de 2007
*
Professor e historiador

 

 

Exposição de Pintura
A L E N T E J O | P A I S A G E N S
Biblioteca Municipal de Nisa
  21 Julho | 18 Agosto 2007

 


pesquisar neste blog
 
RSS