publicado por [FV] | Segunda-feira, 02 Abril , 2007, 19:46

 

 

Não está ao alcance de todo o artista transmitir com tanta verdade a riqueza e a diversidade do Alentejo.
A suavidade da sua imensidão é enganadora e aparente, e encerra dramas e encantos desvendáveis apenas por quem com ele mantém estreita comunhão.
A poucos é facultada a chave para verdadeiramente decifrar, e extrair com precisão, as subtilezas que o distinguem e que a tantos deixa enfeitiçados.
Fernando Vidal, não sendo alentejano, há muito que deixou irem ali enriquecer-se as raízes da sua Alma.
Pertence ao Alentejo. Pertence-lhe pela forte paixão que por esta terra nutre, mas também por laços de família e de incontáveis amizades que ao longo dos anos ali cultivou.
São por isso diferentes estes quadros desta nova fase na pintura de Fernando Vidal – Vivos.
Vivos, não só pela cor e pelas formas e perspectivas pouco comuns que nos despertam para um novo olhar sobre o que julgávamos já conhecer, mas vivos, ainda, por transmitirem essa centelha fundamental da cumplicidade com as gentes destas paragens e sem a qual o mais belo quadro, a mais bela paisagem, jamais se elevariam como acontece aqui, acima da vulgaridade do mero ‘retrato’ ou ‘natureza-morta’.
 
Freitas Cruz [Pintor], Texto para catálogo (2007)

 Exposição de Pintura
A L E N T E J O | P A I S A G E N S
Galeria Municipal de Monforte
2 a 19 Abril 2007

 


pesquisar neste blog
 
RSS