publicado por [FV] | Terça-feira, 01 Janeiro , 2008, 09:45

 
Olhar a pintura de Fernando Vidal é como ver ao longe. É abarcar o todo como um pormenor. Visão que parece de todos, mas que cada um constrói em função da sua experiência de observador de paisagens, em sentido lato.
Para nós, há como que um olhar de mirantes que em viagem fixam um momento. Olha-se o instante e vê-se o instantâneo. Pouco importa se é de dia ou de noite, para que a acuidade registe um grande espaço ou algo pequeno e mais próximo.
Ao observar, estas obras, poderíamos cair na tentação de situar lugares, regiões, países, continentes ou universos. Poderíamos fixar-nos no modo de fazer, no modo de apor a matéria. Mas, eis que, surge a sugestão do elemento. Pela cor, pela forma, pelo tempo…
É laranja! É tórrido; É vermelho! É quente; É azul! É frio;
É verde! É cálido; É amarelo! É seco; É castanho! É árido;
É preto! É enigma... E de seguida, em catadupa: o fogo,
o sangue, a água, o ar, a areia, a terra, a escuridão…
Damos mais uma volta e confrontamo-nos com a nossa posição em relação ao espaço. Estamos a ver de frente? De lado? De cima? De baixo? Ou de lado nenhum? De todos os lados em simultâneo é que não. Digamos que estamos a ver de dentro para fora da imagem e, de fora para dentro de nós. Há como que um espalhar o visível. Há como que um vasculhar o indizível. Tudo para que possamos ver de longe.
Amadora, Abril 2009
José Mourão


Exposição de Pintura
'Ver de longe'
Galeria espaço ARTEVER
Rua Padre António Vieira, Loja 22 B, Venda Nova (perto das Portas de Benfica)
09 Maio | 09 Junho 2009
(de 2ª a 6ª das 14H30 às 18H30 e Sábados das 10H00 às 13H00)

 





 


pintura | obra
pesquisar neste blog
 
RSS